CURSO BANCO DE DADOS - dBASE


dBASE

dBASE FOI O PRIMEIRO SGBD LARGAMENTE UTILIZADO INDUSTRIALMENTE , PELO APPLE II , APPLE MACINTOSH E PC'S IBM PARA DOS , ONDE SE TORNOU UM DOS SOFTWARES MAIS VENDIDOS DURANTE ALGUNS ANOS . O dBASE NUNCA CONSEGUIU MIGRAR COM SUCESSO PARA A PLATAFORMA MICROSOFT WINDOWS , E FOI , EM ALGUNS CASOS , SUBSTITUÍDO POR NOVOS PRODUTOS , COMO PARADOX , CLIPPER , FOXPRO E MICROSOFT ACCESS . dBASE FOI VENDIDO PARA A BORLAND EM 1991 , QUE VENDEU OS DIREITOS DA LINHA DE PRODUTOS , EM 1999 , PARA A RECÉM-FORMADA dBASE Inc .

A PARTIR DOS MEADOS DOS ANOS OITENTA , MUITAS OUTRAS COMPANHIAS PRODUZIRAM SEUS PRÓPRIOS " DIALETOS" OU VARIAÇÕES DO PRODUTO E DA LINGUAGEM . ENTRE ESSES , ESTÃO : FOXPRO ( ATUAL VISUAL FOXPRO ) , ARAGO , FORCE , RECITAL , DBFAST , DBXL , QUICKSILVER , CLIPPER , XBASE+= , FLAGSHIP E HARBOUR . TODOS FORAM CHAMADOS DE XBASE . O FORMATO DE ARQUIVO DO dBASE , O DBF , É MUITO USADO POR DIVERSOS APLICATIVOS QUE PRECISAM SOMENTE DE UM FORMATO ESTRUTURADO PARA SEUS DADOS . A LICENÇA DO dBASE FOI ENTREGUE AOS USUÁRIOS COM A VALIDADE DE 50 ANOS , PREVENINDO-SE CONTRA A IMPROVÁVEL CHANCE DE UM USUÁRIO UTILIZAR SUA LOJA DO dBASE POR UM EXTENSO PERÍODO DE TEMPO .

dBASE - APLICAÇÕES COMERCIAIS

INTRODUÇÃO

ESTE LIVRO É DESTINADO A PESSOAS QUE DESEJAM DESENVOLVER PROGRAMAS USANDO O dBASE . É NA VERDADE UMA SEQUÊNCIA PRIMER . PARA APROVEITÁ-LO AO MÁXIMO , VOCÊ DEVERÁ OU TER COMPLETADO O PRIMER OU TER ALGUM CONHECIMENTO DO dBASE .

O LIVRO ESTÁ DIVIDIDO EM 3 PARTES . OS 3 CAPÍTULOS DA PRIMEIRA PARTE FAZEM UMA REVISAO DOS FUNDAMENTOS DO dBASE E FORNECEM A BASE PARA OS DEMAIS CAPÍTULOS . NÃO HÁ REFERÊNCIA AO PRIMER OU AO MANUAL DO dBASE .

A SEGUNDA E MAIOR PARTE CONSISTE EM SETE CAPÍTULOS QUE DESCREVEM A UTILIZAÇÃO DO dBASE EM VÁRIOS PROBLEMAS FINANCEIROS . NÓS MONTAMOS UM ESQUEMA BÁSICO PARA UM SISTEMA DE SOFTWARE FINANCEIRO , COM UMA SÉRIE DE PROGRAMAS PARA ARQUIVOS DE CLIENTES , LISTAS E ETIQUETAS DE ENDEREÇAMENTO E GERENCIAMENTO DE INVENTÁRIO . COM ESTE ESQUEMA , ABORDAMOS OS PROBLEMAS MAIS DINȂMICOS VINCULADOS A ENTRADA DE PEDIDO DE VENDA , PREENCHIMENTO DE PEDIDOS E FATURAMENTO . OS PROGRAMAS NA SEGUNDA PARTE POSSUEM UMA FUNÇÃO DUPLA . CADA UM DELES RESOLVE UM PROBLEMA SIMPLES DE CONTABILIDADE E DEMONSTRA ALGUNS DOS RECURSOS DA LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO DO dBASE . COM ISSO , ELES FORNECEM AO LEITOR EXEMPLOS DE PROGRAMAÇÃO . O OBJETIVO PRINCIPAL DOS PROGRAMAS É O DE MONSTRAR AO LEITOR COMO LIDAR COM O DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS COM O dBASE PARA RESOLVER UM PROBLEMA ESPECÍFICO . O SISTEMA DE SOFTWARE EM SI NÃO TEM A INTENÇÃO DE SER COMPLETO .





O TEXTO E OS PROGRAMAS SÃO EXEMPLIFICADOS POR TECLAS E FIGURAS . QUANDO É NECESSÁRIO INTERROMPER LINHA DO PROGRAMA NO TEXTO , UM SINAL DE * FOI COLOCADO ONDE A LINHA DE PROGRAMA ESTÁ INTERROMPIDO . NO PROGRAMA AS VARIÁVEIS DE MEMÓRIA FORAM COLOCADAS EM LETRAS MINÚSCULAS PARA QUE VOCȆ POSSA DINTINGUÍ-LAS DO NOME DO CAMPO E DO ARQUIVO . NO TEXTO , AS VARIÁVEIS DE MEMÓRIA FORAM INICIALIZADAS .

USE SEMPRE O SINAL DE ASPAS SIMPLES ( ' ) OU DE ASPAS DUPLAS ( " ) EM AMBOS OS LADOS DE SUAS STRINGS DE CARACTERES , AO FAZER O PROGRAMA . NOSSA IMPRESSÃO APRESENTA ASPAS FECHADAS E ABERTAS NAS PARTES DE TEXTO , ILUSTRANDO ASPECTOS DO PROBLEMA . ENTRETANTO , VOCȆ DEVERÁ USAR AS ASPAS EM SEU TECLADO DO COMPUTADOR AO ESCREVER SEUS PROGRAMAS . NUNCA USE O SINAL DE ACENTUAÇÃO .

A ÚLTIMA PARTE CONSISTE EM QUATRO CAPÍTULOS . ELA LIDA COM TÓPICOS E ARTIFÍCIOS ESPECIAIS , BEM COMO EXPLICAÇÕES GENÉRICAS DE QUESTÕES COMO , POR EXEMPLO , COMO APROVEITAR AO MÁXIMO O COMANDO REPORT E COMO LIDAR COM A DATA COMO UM TIPO DE DADOS . O LEITOR DEVERÁ BUSCAR ESSES ARTIFÍCIOS AO DESENVOLVER SEUS PRÓPRIOS PROGRAMAS .

O MÉTODO DO LIVRO É REALMENTE O DO " APRENDER FAZENDO " - A MAIORIA DE NÓS APRENDE MAIS FACILMENTE QUANDO ESTÁ TENTANDO EFETIVAMENTE FAZER ALGO . UM DOS MELHORES MÉTODOS É EXAMINAR O MÉTODO UTILIZADO POR ALGUMA OUTRA PESSOA PARA RESOLVER UM DETERMINADO PROBLEMA E ENTÃO ADAPTAR A SOLUÇÃO PARA RESOLVER O NOSSO PROBLEMA ESPECÍFICO . A NOSSA ADAPTAÇÃO SERÁ ESCRITA , POR UMA VEZ , SE TORNARÁ MODELO PARA ALGUMA OUTRA PESSOA .





PARTE UM

FUNDAMENTOS DO dBASE





CAPÍTULO UM

ELEMENTOS BASICOS SOBRE OS BANCOS DE DADOS

QUASE TODAS AS PROFISSÕES OU EMPRESAS REQUEREM ALGUM SISTEMA BEM ORGANIZADO PARA O ARMAZENAMENTO E RECUPERAÇÃO DE INFORMAÇÕES . JÁ SE FORAM OS DIAS DOS CÁLCULOS MENTAIS , MESMO A MICROEMPRESA PODE SE BENEFICIAR DE UM EFICIENTE SISTEMA GERENCIADOR DE DADOS E O GERENCIAMENTO DE DADOS É , SEM DÚVIDA , UM DOS MAIS ÚTEIS EMPREGOS QUE SE PODE DAR AO MICROCOMPUTADOR .

O BANCO DE DADOS É SIMPLESMENTE UM CONJUNTO DE DADOS ORGANIZADOS DE FORMA A SEREM USADOS COM UM DETERMINADO OBJETIVO . UM EXEMPLO COMUM DE BANCO DE DADOS É A LISTA TELEFȎNICA , UM CONJUNTO DE INFORMAÇÕES ORGANIZADAS DE MODO A POSSIBILITAR A FÁCIL LOCALIZAÇÃO DE NÚMEROS TELEFȎNICOS . COMO EXEMPLO COMUM É O SISTEMA DE ÍNDICE POR CARTÕES , USADO EM BIBLIOTECAS . ESSES BANCOS DE DADOS TEM A FINALIDADE MAIS AMPLA DE TORNAR EFICIENTES OS SISTEMAS TELEFȎNICOS E BIBLIOTECÁRIOS .

EMPRESAS E OUTRAS ORGANIZAÇÕES TȆM SEUS PRÓPRIOS SISTEMAS DE BANCOS DE DADOS : ARQUIVOS DE CLIENTES , ARQUIVOS COM INFORMAÇÕES PESSOAIS , INVENTÁRIOS , REGISTROS DE VENDAS , TABELAS DE IMPOSTOS , ETC . AS ESCOLAS TEM CURRÍCULOS DOS ALUNOS , LISTAS DE CHAMADAS , ARQUIVO DE FUNCIONÁRIOS , RELATÓRIO DE FREQUȆNCIA E INVENTÁRIOS . TODOS ESSES BANCOS DE DADOS POSSIBILITAM O BOM FUNCIONAMENTO DE UMA EMPRESA OU ORGANIZAÇÃO .

A MAIORIA DOS BANCOS DE DADOS É MONTADA COMO TABELAS COM LINHAS E COLUNAS - ESTE É UM MODO DE ORGANIZAR INFORMAÇÕES QUE TODOS USAMOS E INTUITIVAMENTE COMPREENDEMOS . A LISTA TELEFȎNICA , POR EXEMPLO , É ORGANIZADA DESSA FORMA :

NOME - ENDEREÇO - TELEFONE

--------------------------------------------

CARDOSO, B. - R 2 AV. B. LEME - 389-8923

DIAS, E. Z. - R 123 AL. FRANCA - 555-1234

JUNQUEIRA, A. - R 8931 L. FERREIRA - 789-4309





ANTES DA ERA DO COMPUTADOR , TODOS OS BANCOS DE DADOS ERAM ARMAZENADOS EM PAPEL , LIVROS - CARTÃO OU EM FICHÁRIOS . PARA CRIAR , MODIFICAR , ARMAZENAR E RECUPERAR DADOS NOSSOS BANCOS , EM PAPEL , ERA NECESSÁRIA A EFETIVA MANIPULAÇÃO FÍSICA DOS DADOS COMPUTADORIZADOS , A INFORMAÇÃO ERA ARMAZENADA COMO ÁREAS MAGNÉTICAS EM UM DISCO . USANDO O COMPUTADOR NÃO É POSSÍVEL O ACESSO FÍSICO AOS DADOS , ASSIM , TORNA-SE NECESSÁRIO UM MÉTODO PARA SE LIDAR COM ELES . NOSSO VEÍCULO SE´RA ENTÃO UMA FORMA DE SOFTWARE PARA COMPUTADOR - UM SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS - DATABASE MANAGEMENTS SYSTEM ( DBMS ) . O dBASE , QUE EXAMINAMOS NESSE LIVRO , É UM DBMS BASTANTE CONHECIDO . UMA VEZ QUE O USUÁRIO CONHEÇA OS ELEMENTOS OU COMANDOS BÁSICOS , COM O SISTEMA GERENCIADOR DE DADOS ELE PODERÁ MANIPULAR VÁRIAS QUANTIDADES DE DADOS MUITO MAIS FACILMENTE QUE COM AQUELES ARMAZENADOS EM PAPEL .

COMO A MAIORIA DOS SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS , O dBASE ORGANIZA OS DADOS EM LINHAS E COLUNAS . AS COLUNAS SÃO CHAMADAS CAMPOS . AS LINHAS SÃO CHAMADAS REGISTROS . OS TÍTULOS DAS COLUNAS SÃO CHAMADOS NOMES DE CAMPOS . O DBMS É COMPOSTO POR VÁRIAS PARTES FUNCIONAIS .

FREQUENTEMENTE , USA-SE DOIS OU MAIS BANCOS DE DADOS EM CONJUNTO , POR EXEMPLO , SE TIVERMOS UM BANCO DE DADOS DE ESTUDANTES E / OS OUTROS DE PROFESSORES . PODEMOS SABER QUEM É O PROFESSOR DE TOMÁS JULIANO POR MEIO DE UMA REFERÊNCIA CRUZADA ÀS DUAS TABELAS DE BANCO DE DADOS , USANDO COMO REFERÊNCIA A SALA DE AULA DE TOMÁS . AO FAZER ISSO , ESTAMOS RELACIONANDO A INFORMAÇÃO , DE UMA DAS TABELAS , À INFORMAÇÃO DE UMA OUTRA . ESTA É UMA OPÇÃO SIMPLES QUE UTILIZAREMOS O TEMPO TODO .

O SISTEMA GERENCIADOR DE DADOS , QUE OS UTILIZA ORGANIZADOS COMO LINHAS E COLUNAS PARA POSSIBILITAR AO USUÁRIO RELACIONAR ( EM REFERȆNCIA CRUZADA ) DADOS DE TABELAS ORGANIZADAS EM BANCOS DE DADOS , É DENOMINADO RELACIONAL . O dBASE É UM SISTEMA GERENCIADOR DE DADOS RELACIONAL .

EM UM CERTO SENTIDO , O SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS É SEMELHANTE A UM RAPAZ DO ESTOQUE EM UM SUPERMERCADO : ELE CUIDA DE TODAS AS TAREFAS ROTINEIRAS VINCULADAS AO ARMAZENAMENTO , MANUTENÇÃO , EXCLUSÃO , MODIFICAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE DADOS . HÁ GERALMENTE TRȆS " LINGUAGENS " INCORPORADAS PARA POSSIBILITAR A COMUNICAÇÃO COM ESSE TRABALHADOR VERSÁTIL .

* A LINGUAGEM DE DEFINIÇÃO DE DADOS - DATA DEFINITION LANGUAGE ( DDL ) - PERMITE CRIAR E MODIFICAR A ESTRUTURA DE UM BANCO DE DADOS . EM UM SISTEMA RELACIONAL COMO O dBASE , A ESTRUTURA CONSISTE EM NOMES DE CAMPOS , NO TAMANHO DE CADA UM DELES E NO TIPO DE DADOS QUE ESTÃO ARMAZENADOS EM CADA CAMPO ( TIPO DE CAMPO ) .

* A LINGUAGEM DE MANIPULAÇÃO DE DADOS - DATA MANIPULATION LANGUAGE ( DML ) - POSSIBILITA MODIFICAR O CONTEÚDO DO BANCO DE DADOS . O ACRÉSCIMO , A EDIÇÃO E EXCLUSÃO DE REGISTROS SÃO TAREFAS DA DML .

* A LINGUAGEM DE CONSULTA PERMITE LOCALIZAR E RECUPERAR DADOS COM A FINALIDADE DESEJADA . ELA TAMBÉM PERMITE CONECTAR O SISTEMA A UM PROGRAMA APLICATIVO .

* O GERADOR DE RELATÓRIO PERMITE EXTRAIR DADOS DO BANCO DE DADOS PARA PRODUZIR SAÍDAS TANTO IMPRESSAS COMO NO VÍDEO .

NO dBASE , OS TRÊS ELEMENTOS " LINGUAGEM " E O GERADOR DE RELATÓRIOS SÃO COMBINADOS EM UM PACOTE INTEGRADO CHAMADO " LINGUAGEM DE DESENVOLVIMENTO APLICATIVO " - APLICATIONS DEVELOPMENT LANGUAGE ( ADL ) . PARA INICIAR NO dBASE É NECESSÁRIO CONHECER UM POUCO DE SUA TERMINOLOGIA .





A TERMINOLOGIA BÁSICA DO dBASE

QUANDO FOR INSERIR OS DADOS NO COMPUTADOR , O USUÁRIO PRECISARÁ ESTABELECER UM ARQUIVO , DANDO UM NOME AO ARQUIVO , ESTABELECENDO A ESTRUTURA DE REGISTRO E INFORMANDO AO COMPUTADOR O TIPO E TAMANHO DE CAMPO . O dBASE TEM , INCORPORADAS , MENSAGENS DO SISTEMA OPERACIONAL QUE AUXILIARÃO O USUÁRIO A CRIAR OS ARQUIVOS .

OS NOMES DOS BANCOS DE DADOS

OS BANCOS DE DADOS DO dBASE SÃO ARMAZENADOS EM ARQUIVOS EM DISCO . CADA ARQUIVO TEM UM NOME ESPECÍFICO , CHAMADO " NOME DE ARQUIVO " . COM O dBASE UTILIZA O SISTEMA OPERACIONAL DO COMPUTADOR PARA ARMAZENAR OU RECUPERAR INFORMAÇÕES DO BANCO DE DADOS , ELE DEVE SER COMPATÍVEL COM AS REGRAS PARA NOMES DE ARQUIVOS DO SISTEMA OPERACIONAL . FELIZMENTE PARA O USUÁRIO , A MAIORIA DOS SISTEMAS OPERACIONAIS TEM REGRAS COMPÁTIVEIS PARA OS NOMES DE ARQUIVOS .

OS NOMES DE ARQUIVOS PODEM TER OITO CARACTERES OU MENOS . DEVEM SER INICIADOS POR UMA LETRA E NÃO PODEM TER ESPAÇOS EM BRANCO NO MEIO .

OS DADOS

SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DE DADOS ( DBMS )

* LINGUAGEM DE MANIPULAÇÃO DE DADOS

* LINGUAGEM DE DEFINIÇÃO DE DADOS

* LINGUAGEM DE CONSULTA

* GERADOR DE RELATÓRIOS





NOME DO ALUNO - SALA - CLASSE

-----------------------------------------------

ÂNGELA, AGUIAR - 13 - 1

BORGES, EDSON - 26 - 1

CINTRA, CARLOS - 15 - 2

JULIANO, TOMÁS - 20 - 3


NOME DO PROFESSOR - SALA - CLASSE

-----------------------------------------------

BONFIM, WALTER - 25 - 1

NEVES, MARIA - 16 - 2

PRADO, PLÍNIO - 13 - 1

WILSON, JORGE - 20 - 3

EXEMPLO DE BANCO DE DADOS RELACIONAL

BONS NOMES DE ARQUIVOS :

CIDADOS1

BCODADOS

ALFA

NOMES INADEQUADOS DE ARQUIVOS :

12A1

DADOS A

BCO DADOS

VOLTANDO AO NOSSO EXEMPLO DE AGENDA TELEFȎNICA , PODERÍAMOS TER UM ARQUIVO DESSE TIPO SOB O NOME " AGENDTEL " .

NOME DE CAMPOS

AS REGRAS PARA OS NOMES DE CAMPOS ( TÍTULOS DE COLUNAS ) SÃO SEMELHANTES ÀS DOS NOMES DOS ARQUIVOS . O NOME DE CAMPO PODE TER DEZ OU MENOS LETRAS E NÚMEROS . DEVE COMEÇAR POR UMA LETRA E NÃO PODE TER INTERCALADOS ESPAÇOS EM BRANCO . EM NOSSO EXEMPLO DE AGENDA TELEFȎNICA , OS NOMES DE CAMPOS SERIAM O " NOME " , " ENDEREÇO " E " TELEFONE " .





TIPOS DE CAMPOS

O TIPO DE CAMPO DETERMINA O TIPO DE DADOS QUE PODEM SER ARMAZENADOS EM UM DETERMINADO CAMPO . HÁ TRÊS TIPOS DE CAMPOS DE CARACTERES , NUMÉRICOS E LÓGICOS .

OS CAMPOS DE CARACTERES PODEM CONTER TUDO QUE FOR POSSÍVEL DIGITAR : LETRAS , NÚMEROS , ESPAÇOS EM BRANCO E SÍMBOLOS . UM NÚMERO TELEFÔNICO PODERÁ SER UM CAMPO DECARACTERES JÁ QUE COM ELES NÃO SERÃO EFETUADOS CÁLCULOS .

OS CAMPOS NUMÉRICOS PODEM CONTER NÚMEROS , UM PONTO DE DECIMAL E UM SINAL DE SUBTRAÇÃO . OS NÚMEROS PODEM SER INTEIROS OU DECIMAIS . OS CAMPOS NUMÉRICOS SÃO USADOS QUANDO HÁ CÁLCULOS ARITMÉTICOS A SEREM EFETUADOS .

OS CAMPOS LÓGICOS PODEM CONTER T E F OU Y E N ( VERDADEIRO OU FALSO , SIM OU NÃO ) . SÃO USADOS NOS CAMPOS ONDE O VALOR ARMAZENADO PODE SER APENAS UMA ENTRE DUAS POSSIBILIDADES . POR EXEMPLO , COM ARQUIVO AGENDTEL , PODEMOS ESTABELECER UM CAMPO DENOMINADO " ATUALIZADO " . ENTÃO , SE PERGUNTARMOS AO COMPUTADOR SE ELE ESTÁ ATUALIZADO , PODEREMOS RECUPERAR OS DADOS DESSE CAMPO COMO Y OU N ( ATUALIZADO OU NÃO - ATUALIZADO ) , DEPENDENDO DO QUE CONTIVER AQUELE REGISTRO .

TAMANHO DE CAMPO

O TAMANHO DE CAMPO É SIMPLESMENTE O NÚMERO DE ESPAÇOS EQUIVALENTE AOS DE UMA MÁQUINA DE ESCREVER EM UMA COLUNA . NO CASO DE UM CAMPO LÓGICO , ELE É SEMPRE UM . NOS DEMAIS , A DETERMINAÇÃO DO TAMANHO DO CAMPO DEPENDE DO QUE O USUÁRIO CALCULAR COMO O TAMANHO MÁXIMO NECESSÁRIO PARA CAMPO EM QUESTÃO .

VOCABULÁRIO DE COMANDOS BÁSICOS

UMA VANTAGENS DO dBASE É QUE ELE PODE SER USADO COM EFICIÊNCIA SEM QUE O USUÁRIO REALMENTE CONHEÇA MUITO A SE RESPEITO . O dBASE É UM DBMS ORIENTADO POR COMANDOS . ISSO SIGNIFICA QUE O USUÁRIO DEVERÁ INFORMAR-LHE QUE TAREFA DESEJA QUE ELE CUMPRA . ELE PODERÁ OPERAR O ARQUIVO INTERATIVAMENTE , POR MEIO DO TECLADO - EXECUTANDO AS FUNÇÕES BÁSICA DO BANCO DE DADOS - COM O USO DE APENAS UM VOCABULÁRIO BASTANTE LIMITADO : O VOCABULÁRIO DE COMANDOS BÁSICOS CONSISTE EM APENAS 20 PALAVRAS .

CREATE

USE

APPEND

DISPLAY

LIST

SUM

FOR

SORT

INDEX

LOCATE

FIND

EDIT

COUNT

REPLACE

DELETE

RECALL

PACK

REPORT

QUIT

COPY





ESSAS PALAVRAS - CHAVE FAZEM EXATAMENTE O QUE CADA UMA DELAS SUGERE . PARA QUE VOCÊ PERCEBA MELHOR COMO SÃO USADAS E O QUE REALMENTE FAZEM , NÓS CRIAREMOS UM BANCO DE DADOS COM OS APRESENTADOS NA FIGURA 3 . ESSE BANCO DE DADOS , QUE SERVE COMO EXEMPLO , CONTÉM SOMENTE CINCO REGISTROS , MAS É BEM APROPRIADO PARA DEMONSTRAR O USO DO VOCABULÁRIO BÁSICO . AS OPERAÇÕES DO BANCO DE DADOS SÃO SEMPRE AS MESMAS , SEJA COM CINCO REGISTROS , SEJA COM 50.000 .

NOME PECA - QTIDADE - ESTOQ MIN - PRECO UNIT

----------------------------------------------------------------------

MARTELO , DE ORELHA 3/4" - 6 - 6 - 10880.00

CHAVE DE PARAFUSO , CAIXA 5/8" - 4 -6 - 4290.00

CHAVE DE PARAFUSO , CAIXA 3/4" - 8 - 5 - 6190.00

MARTELO , DE BOLA 1 1/2" - 5 - 3 - 8150.00

ALICATE , DE FIO 3/4" - 11 - 5 - 3890.00

FIGURA 3 . EXEMPLO DE BANCO DADOS


O SISTEMA OPERACIONAL

O SISTEMA GERENCIADOR DE BANCO DADOS DE SEU MICRO É UM PROGRAMA QUE OPERA SOB O CONTROLE DO SISTEMA OPERACIONAL DO COMPUTADOR . ELE SEGUE REGRAS DETERMINADAS PELO SISTEMA OPERACIONAL , COMO A ESTRUTURA DOS NOMES DOS BANCOS DE DADOS ( NOMES DOS ARQUIVOS ) . TAMBÉM OPERA EM CONJUNTO COM O SISTEMA OPERACIONAL E , NA MAIORIA DOS CASOS , ISOLA O USUÁRIO DAS PECULIARIDADES DE UM DETERMINADO SISTEMA .

O dBASE TRABALHA COM OS SEGUINTES SISTEMAS OPERACIONAIS DE MICROS .

CP/M®

CP/M-86™

PC DOS™

MS DOS™

TRSDOS™

CONCURRENT CP/M

NA MAIOR PARTE DO TEMPO , AO USAR O dBASE , O USUÁRIO NÃO PERCEBERÁ AS DIFERENÇAS ENTRE ESSES SISTEMAS OPERACIONAIS , ENTRETANTO , HÁ ALGUMAS DELAS QUE DEVERÃO SER CONHECIDAS . SEMPRE QUE TIVERMOS UMA ÁREA EM QUE AS DIFERENÇAS ENTRE OS SISTEMAS OPERACIONAIS AFETEM O dBASE , ELAS SERÃO INDICADAS NESTE MANUAL .


O USO DO dBASE

EM TODOS OS SISTEMAS OPERACIONAIS ACIMA , O INDICADOR APARECERÁ NO LADO ESQUERDO DE SEU TERMINAL DE VÍDEO DA SEGUINTE FORMA :

A >




IMPRIMIR AQUI, PRINTER HERE...